jump to navigation

Como funciona Lost agosto 17, 2008

Posted by lilaliss in curiosidade.
trackback

Qual a sua teoria sobre “Lost”? Almas penando no limbo, viajantes num universo paralelo, reality show ao estilo “Survivor”, viagens no tempo ou você não tem a mínima idéia do que está acontecendo? Seja qual for sua situação, você deve estar igual a um passageiro do vôo 815 da Oceanic Air: completamente perdido.

Claire e o bebê
©2008 ABC, Inc.
Cena mostra sobreviventes do vôo 815 da Oceanic Air tentando levar a vida na estranha ilha de “Lost”

Tentar desvendar o que acontece na misteriosa ilha onde caiu o avião, e deixou por lá uma diversidade de sobreviventes representativos da espécie humana, tem sido o desafio para milhões de espectadores ao redor do mundo desde que a série estreou em 2005. O sucesso de “Lost” foi imediato e sua fórmula baseada em um roteiro complexo e instigante, que mistura suspense, aventura, drama, terror, ficção científica e umas pitadas de romance, tem mantido as pessoas não só vidradas nos episódios semanalmente, como também resultou em sites, livros, revistas e programas para explicar e especular sobre a série.

Ao mesmo tempo, durante a terceira temporada exibida em 2007, cresceu a sensação de que os roteiristas possam ter perdido a mão na condução da história, em função da constante ampliação das conexões e motivações por trás de cada personagem e fato. Apesar disso ou por conta disso, a cada episódio pistas novas enterram e ressuscitam antigas e novas hipóteses sobre o mistério que envolve “Lost”. Essas idas e vindas ainda devem prosseguir até 2010, quando a série acaba com um total de 120 episódios originais, segundo previsão da rede de televisão ABC.

“Lost” estreou com uma das seqüências iniciais mais emocionantes feitas para a TV e com um primeiro episódio que custou US$ 12 milhões e o emprego de Lloyd Braun, presidente de entretenimento da rede ABC, por ter autorizado algo tão caro. Mas esse custo compensou. O seriado venceu os principais prêmios da televisão – o Emmy, o Globo de Ouro e o Monte Carlo Television Festival – em 2005, 2006 e 2007, como melhor série dramática, e atingiu índices de audiência de até 23 milhões de espectadores em um episódio, números próximos aos dos campeões de audiência “C.S.I.” e “Desperate Housewives”.

O problema pode ser que a série tenha passado do ponto. Nenhum dos principais mistérios que apareceram no primeiro episódio deve ser definitivamente resolvido até o final da quarta temporada. As pistas que poderiam explicar o que é a ilha e quem são as pessoas envolvidas com ela tornam-se cada vez mais complexas e interligadas com novas situações e personagens. Esse caminho adotado pelos roteiristas pode estar desanimando os fãs da série. Mas também pode estar construindo uma explicação mais científica e plausível para todos os mistérios. Ainda assim, “Lost” permanece um fenômeno de audiência. Nos Estados Unidos, manteve-se sempre desde a estréia entre os dez programas mais vistos. No Brasil, a quarta temporada lidera a audiência na TV paga e a apresentação da terceira temporada em canal aberto dobrou os índices de audiência no horário.

Sawyer e Kate
©2008 ABC, Inc.
Os personagens bonitões Sawyer e Kate revelam um passado criminoso e garantem as cenas mais sensuais do seriado

Conheça nas próximas páginas um pouco mais sobre alguns dos principais mistérios que fazem o charme da série e teorias que poderiam explicar os fenômenos que acontecem na ilha. Mas, antes de ir adiante, é bom você saber que algumas das informações apresentadas contêm fatos da terceira e da quarta temporada.

Se você ainda não assistiu ao seriado ou não conhece por completo a trama de “Lost”, apresentamos a seguir um resumo do argumento central da série, baseado no que foi desenvolvido entre a primeira e a quarta temporada (2005/2008).

“Lost” mostra a vida dos sobreviventes do acidente de um avião em uma ilha estranha, que ninguém sabe exatamente onde fica. O vôo 815 da companhia aérea Oceanic Air ia de Sydney (Austrália) para Los Angeles (EUA) e teria desaparecido em algum ponto do Pacífico Sul.

Entre os sobreviventes estão o médico Jack Shephard, que retornava para casa com o corpo do pai, o paraplégico John Locke, que voltou a andar após o acidente, a bela prisioneira do FBI Kate Austen, que estava foragida, o iraquiano Sayid Jarrah, ex-membro da Guarda Republicana de Saddam Hussein, o golpista bonitão James Sawyer, o músico Charlie Pace, viciado integrante de uma banda de rock “one-hit wonder”, o obeso ganhador da loteria Hugo Hurley, a grávida Claire, o casal de coreanos Sun e Jin Kwon, uma família negra formada por Michael Dawson e seu filho Walt, que ficou órfão da mãe enquanto morava na Austrália, e os dois meios irmãos Shannon e Boone. Essa diversidade étnica pode representar o lado politicamente correto da produção, mas também pode ter alguma ligação com o mistério por trás dos acontecimentos, como qualquer detalhe presente em “Lost”.

Esse grupo, que será o protagonista dos primeiros episódios, luta pela sobrevivência na ilha e pela busca de resgate, liderados por Jack e John Locke. À medida que os dias passam, a ilha vai se revelando mais assustadora. Um possível monstro, animais improváveis, como um urso polar, sussurros e alucinações na selva, armadilhas e seqüestros aterrorizam os sobreviventes. Eles descobrem também que não estão sozinhos na ilha, que há os “outros” e que existem várias estações científicas escondidas pertencentes a uma tal de Iniciativa Dharma.

Sem sinal das equipes de resgate e sem sucesso nas tentativas de sair da ilha e de encontrar um meio de pedir socorro ao mundo exterior, eles vão ter ainda de se defrontar com os “outros”, um grupo de pessoas que já habitava a ilha e não parece muito amistosa com os sobreviventes. Liderados pelo personagem Benjamin Linus, os “outros” aparentemente fazem parte do projeto que é a razão de ser da ilha e suas intenções nunca são o que parecem ser.

Ao longo desse percurso, a trama traz inúmeros mistérios em relação à ilha, como uma seqüência de números (4, 8, 15, 16, 23 e 42), vídeos com instruções feitos pela Fundação Hanso, patrocinadora da Iniciativa Dharma, e personagens que não envelhecem, entre tantos outros. Além disso, os três primeiros anos da série mostraram flashbacks da vida de cada personagem que muitas vezes revelam algum tipo de intrincada relação entre eles. A partir do último episódio da terceira temporada e dos da quarta, além do passado, aparecem também imagens do futuro dos personagens, mostrando que alguns deles conseguiram sair da ilha.

“Lost” para iniciantes

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: