jump to navigation

Drible as armadilhas de começo de namoro outubro 20, 2009

Posted by lilaliss in curiosidade.
trackback

Quando a gente começa, tudo parece lindo: aí, é fácil esquecer a camisinha, embarcar na bebedeira para acompanhá-lo e virar atleta de fim de semana para correr com ele. Fique atenta aos riscos que um início de relação pode trazer à sua saúde – e livre-se deles!

Alessandra Siedschlag

Não precisa olhar pro lado, nem ter vergonha. Vamos confessar: em começo de namoro, é normal perder o foco e relaxar um pouco com o corpo. Afinal, as baladinhas a dois – como jantares e “algo mais” – já estão garantidas e não pensamos duas vezes: acabamos comendo muito e bebendo com mais freqüência, para acompanhar o novo namorado. Isso sem contar a tentação de abandonar o uso da camisinha depois de algum tempo. Mas que riscos isso pode acarretar para a nossa saúde? Conversamos com alguns profissionais e perguntamos por que isso ocorre, o que eles mais vêem na prática clínica e, o mais importante, como evitar esses desequilíbrios em começos de paixão.

Na hora da cama

O infectologista Luis Fernando Waib diz que a maior angústia dos novos casais é quando abandonar o preservativo. E ele mesmo responde: “O preservativo só pode ser abandonado numa relação estável, e depois de feitos os exames necessários. O critério de relação estável, porém, não é um mês de namoro, ou dois. Quando a gente é jovem e está apaixonado, depois de um mês já é namorado de infância. Relação estável, entretanto, é quando a gente já está casado há muitos anos. Para abandonar o preservativo, os dois precisam ir ao posto de saúde ou a um médico de confiança e fazer os exames necessários”. Então, camisinha sempre? “Isso. Se a gente entender que a camisinha é para ser usada sempre, não importando há quantos meses estamos namorando, milhares de situações indesejadas vão ser evitadas”, diz o dr. Waib.

O ginecologista Lister de Macedo Leandro concorda. “Eu indico camisinha sempre. Fora isso, tem alguns exames que são superimportantes: HIV, e reações sorológicas para as hepatites. E agora na mulher o exame de papanicolau consegue diagnosticar se ela tem o HPV. No homem é mais complicado, porque se ele não tem lesões externas (verrugas nos órgãos genitais), ele teria que fazer a peniscopia, que é um exame incômodo, às vezes dolorido. Mas até melhor que seja assim – isso estimula o uso constante da camisinha”. E sobre a pílula? “Eu recomendo o uso do combinado camisinha + pílula”, diz o médico.

E não tem essa de que “pílula me faz mal, me engorda”. “Não, senhora. Existem dezenas de tipos de pílulas no mercado, a questão é conversar com o seu médico pra poder escolher o tipo que melhor se adapta a você, que lhe cause menos efeitos colaterais, como a retenção de água, por exemplo. E é para usar os dois métodos juntos: a pílula é para não engravidar, a camisinha é essencial pra prevenir as DSTs, que é o que a gente vê o tempo todo no consultório”, finaliza o dr. Lister.

Na hora da mesa

Bom, o mais importante a gente já entendeu. Agora vamos dar uma passada na nutricionista para saber o que fazer pra não engordar tanto no começo do namoro. Quem explica é a nutricionista Gislaine Godoy. “A dica que eu dou para quem gosta de curtir uma balada a dois, ou sair com o namorado pra jantar fora, é fazer a escolha certa. Evite o consumo exagerado de álcool, porque bebidas alcoólicas são muito calóricas. Na hora de escolher porçõezinhas, opte por aquelas que não sejam fritas”, explica.

Sair de casa com algo no estômago também conta: “outro truque muito bom é jantar antes de sair de casa – assim, a tentação exercida por comidinhas saborosas e megacalóricas é bem menor”. Mas e se abusar em um dia, como compensar? “Siga uma dieta balanceada durante a semana, aí você pode se permitir uma escapadinha no fim de semana. Uma atividade física regular também vai contribuir para a manutenção do seu peso e da sua saúde”, aconselha Gislaine.

Na hora da malhação

Então agora vamos falar de atividade física. Porque sempre tem aquela mulher sedentária que começa a namorar um triatleta e resolve sair correndo, ela também, para não fazer feio frente ao namorado. A emenda pode ser pior que o soneto. “Se ela nunca correu na vida, vai dar o maior vexame”, diz Adriana Santinelli, personal trainer. “Não dá pra fazer isso, sob o risco de parar antes dos primeiros três minutos, com a língua de fora, superofegante e com a famosa ‘dor do lado'”.

Melhor desistir e se conformar? “De jeito nenhum: isso é pra estimular! Tem que começar andando. Com o tempo, alterne as caminhadas com alguns minutos de corrida (3 minutos andando + 2 minutos correndo), e assim o organismo vai se condicionando, diminuindo as chances de lesão em articulações ou na musculatura. Se você começa caminhando, prepara a musculatura e cria base aeróbica para correr futuramente”, ensina Adriana. Você vai ver como a melhora acontece a olhos vistos e sem pagar mico. Aliás, é uma boa chance de ficar mais tempo do lado do seu namorado – peça a ele uma ajudinha nos seus treinos de corrida. Certamente ele vai ficar muito orgulhoso em poder ajudar e vocês criarão um vínculo a mais no relacionamento.

Tudo isso dito e explicado, vamos a uma reflexão de por que a gente tende a entrar tão fundo no universo do objeto da nossa paixão – e vamos saber até que ponto isso é normal e saudável. “Eu chamo esse processo de ‘autodesidentificação'”, diz a psicóloga clínica Giselle Lyons. “A pessoa

fica tão identificada com a outra que pode se esquecer de si mesma. Neste processo, podem até ocorrer mudanças positivas, do tipo ‘Eu era sedentária e virei atleta com meu namorado’ – mas o importante é você conseguir parar um pouco e pensar se você realmente quer isso”, explica.

Quem nunca passou por essa situação? “Vemos o ser amado como o ‘ideal’, e também queremos ser ‘ideais’, por isso a tendência a seguir seus passos. Mas, da mesma forma que a gente pode se ‘viciar’ em esporte ou em cinema, por exemplo, tem que tomar cuidado pra não virar adicta a coisas não tão positivas – álcool, por exemplo. A relação não está apoiada em um só pé: a relação é feita de dois”, conclui Giselle.

Dicas dadas, olhos abertos e bom namoro!

Notícias – iG Delas – Drible as armadilhas de começo de namoro

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: